O processo de Inserção Curricular da Extensão, liderado pelo Decanato de Extensão, com apoio do Decanato de Graduação e de outras instâncias acadêmicas e administrativas da Universidade de Brasília – UnB tem o objetivo central de dar mais alcance e mais qualidade ao envolvimento de docentes, discentes e servidores técnico-administrativos com as atividades extensionistas da Universidade.

 

Em sua fase inicial, o processo irá fomentar e qualificar o debate em torno da necessidade de se regulamentar, nos diversos cursos de graduação da UnB, o mínimo de 10% de créditos a serem cumpridos pelos discentes por meio da participação ativa em atividades de extensão.

 

O processo de inserção curricular da extensão da UnB atende ao que está preconizado nos documentos nacionais que se referem às políticas para a Educação, que englobam, entre outros:

 

  1. a) o Plano Nacional de Educação 2014-2024;
  2. b) a LDB 9.394/96;
  3. c) as Diretrizes Curriculares Nacionais para o ensino Superior;
  4. d) as Diretrizes para a Extensão na Educação Superior Brasileira (2018).

Textualmente, a meta 12.7 do PNE indica a necessidade de se:

 

assegurar, no mínimo, 10% (dez por cento) do total de créditos curriculares exigidos para a graduação em programas e projetos de extensão universitária, orientando sua ação, prioritariamente, para áreas de grande pertinência social.

 

As Diretrizes para a Extensão na Educação Superior Brasileira, por sua vez, reiteram o previsto no PNE, da seguinte forma:

 

Art. 4º As atividades de extensão devem compor, no mínimo, 10% (dez por cento) do total da carga horária curricular estudantil dos cursos de graduação, as quais deverão fazer parte da matriz curricular dos cursos.

ATENÇÃO O conteúdo dos artigos é de responsabilidade do autor e expressa sua visão sobre assuntos atuais. Os textos podem ser reproduzidos em qualquer tipo de mídia desde que sejam citados os créditos do autor. Edições ou alterações só podem ser feitas com autorização do autor.